Tel: +351 239 491 046 - Mail: geral@petfun.pt
PT EN


Cães com trela ...


Temos tendência a dizer: "Eu ensinei o meu cão para sentar, deitar ou saltar" A realidade é que nós não ensinamos nada disso, o cão já sabia fazê-lo! O que nós realmente fizemos foi colocar um nome a essa acção e incentivá-lo a fazê-la quando pedimos. Quase sempre em treino há uma base de comportamentos naturais que moldamos e damos um nome. Mas no convívio com cães há dois comportamentos que precisamos de ensinar e aos quais falta essa base natural, são comportamentos que estão fora do natural. Andar com trela é o primeiro e o segundo é estar sozinho.
Aprender esses comportamentos requer uma total ausência de medo, porque não sendo naturais podem por si só gerar medo. Vejamos um facto: existe uma elevada percentagem de cães que têm graves problemas comportamentais quando deixados sozinhos ou quando andam com trela. Esses problemas não acontecem quando estão acompanhados ou quando andam soltos.
Neste texto vamos falar de caminhar com trela. Como podemos criar uma boa associação de algo tão antinatural como é caminhar com a trela?
Quando ocorre uma situação que nos assusta o corpo age e rapidamente por meio de mecanismos de stress é preparado com energia extra para fugir ou lutar. Quando ficamos presos a opção de fuga desaparece, portanto, as opções são limitadas: gritar tentando o afastamento do outro ou numa tentativa desesperada de colocar uma distância entre nós e o que nos assusta (reatividade) se isso não funcionar partimos para a luta (agressão). Muitas vezes estes acontecimentos deixam o cão com stress elevado mesmo depois de já terem terminado. Seria bom que o stress fosse apenas durante o acontecimento mas a ativação pode durar horas, minutos ou dias. E começa a haver tensão frequente, quer aguda, muitas vezes reagindo a quase tudo o que acontece, ou então a tensão é permanente. Através do processo de aprendizagem do condicionamento clássico os cães têm a capacidade de antecipar acontecimentos e muitos cães já associaram: tensão = excitação elevada ou medo. O resultado é que o passeio começa com stress muito elevado e tensão na trela desde o primeiro momento. Alguns cães estão todo o caminho a tentar fugir mas sem saber do quê ou para onde. E temos a serpente que morde a cauda, há mais excitação e medo, mais tensão na trela e mais stress é gerado.
Após esta introdução e entender um pouco o que acontece quando um cão está com trela algumas dicas para melhorar a passeios de um cão:

- As trelas longas podem ajudar o cão a ter uma margem de movimento maior e mais capacidade de se comunicar. Coleiras de picos ou estranguladoras são projetados para irritar ou causar dor. É uma realidade que aumenta os medos e muitos cães estabelecem associações negativas que levam a problemas. Use coleiras confortáveis ou peitoral/arnês.

- Não excite demasiado o seu cão antes de sair, basta levar a trela e caminhar em silêncio, ele sabe que vai passear, não vale a pena tornar isso algo ainda mais importante.

- Evite horas com excesso de actividade de pessoas ou tráfego. Procure algumas vezes áreas com um pouco de silêncio.

- Não pense num passeio como um transporte do cão da zona "A" para a zona "B". Descobrir novos cheiros pode ser muito estimulante. Incentive e permita que o seu cão cheire tudo o que puder. Quando os cães podem farejar livremente conseguem abstrair-se de ambientes visualmente muito estimulantes. As coisas boas podem estar aqui, bem debaixo do seu nariz, não vamos ter pressa para chegar a outro lugar.

- Lembre-se que a possibilidade de exercício é importante. Incluir passeios por locais com algum tempo para andar sem trela, correr ou interagir com outros cães é uma boa ideia. Depois basta retirar a trela e andar não é necessário fazê-lo correr, se quiser e tiver necessidade ele vai.


- Nunca obrigue o seu cão a ir para algo que o assusta, pelo contrário, mostre-lhe que sabe quais são as situações que o incomodam contornando-as ou até mesmo evitando-as. Mostre-lhe que ir de trela não significa ser incapaz de se afastar de algo que o incomoda ou assusta, a sua calma vai ajudar o seu cão a entender que quase nada é perigoso porque você consegue controlar a situação.

- Se houver tensão na trela basta parar, assim que termina a tensão continue a caminhar. Curiosamente a melhor resposta para o porquê de um cão puxar a trela é "porque ele pode". Quando não acontece nada no momento em que puxam eles param de o fazer ou baixam a intensidade com que o fazem. O acesso ao mundo não passa pela trela mas é importante lembrar que uma trela é uma ferramenta que precisamos para a educação ou segurança do cão e nunca uma ferramenta para corrigir ou punir, ao usar a trela desta forma estaríamos a ensinar o cão que a trela ou o passeio podem ser perigosos ou irritantes quando a ideia é que o seu cão aprenda que uma caminhada com trela pode ser quase tão agradável como ir solto.

- Finalmente, não transformar o passeio numa parada militar. A caminhada é para se relacionar com o mundo e satisfazer as necessidades físicas, sociais e emocionais. Não há necessidade de passear com o cão ao seu lado, excepto em raras ocasiões. Quando precisar de ensinar o cão a ir ao seu lado mostre-lhe que isso é muito bom.


Temos visto muitas pessoas e treinadores que preferem ensinar aos cães que é perigoso ficar longe deles. Os resultados são evidentes: Muitos cães que têm problemas quando andam com trela.

Autor: Santi Jaime Vidal Guzman - Mas Que Guau

Voltar às Pet Fun Dicas

©2017 Pet Fun. Todos os direitos reservados. by fullscreen